top of page

Primeiro dia da 21ª Assembleia Regional Pastoral: Plano Pastoral e experiências diocesanas em pauta


(21ª Assembleia Pastoral Regional NE5 | Foto: Comunicação Regional NE5)

De 30/06 a 02 de julho, os bispos e lideranças da Igreja do Maranhão estarão reunidos no Centro Diocesano Pastoral, Diocese de Zé Doca, para a 21ª edição da Assembleia Pastoral Regional NE5. Na programação, apresentação do Plano Pastoral 2023-2025 e partilhas sobre as atividades pastorais nas dioceses e sobre a síntese do Sínodo.


O momento de abertura foi de acolhida das Dioceses e das Expressões Eclesiais (Pastorais, Organismos e Movimentos), que entregaram elementos que representam suas realidades.



Durante a abertura, foi feita a acolhida a nova presidência eleita para o quadriênio 2023-2027, composta pelo presidente, dom Gilberto Pastana Oliveira, arcebispo e São Luís do Maranhão, pelo vice-presidente, dom Sebastião Lima Duarte, bispo da Diocese e Caxias do Maranhão e o secretário, dom Francisco Lima Duarte, bispo da Diocese de Carolina.



Na ocasião, foi realizado o agradecimento gestão anterior 2019-2023, composta por dom Sebastião Bandeira, bispo da Diocese de Coroatá, dom João Kot, vice-presidente e o secretário, dom Rubival Britto.


Além das apresentações e dos agradecimentos, fez-se menção aos bispos maranhenses que foram eleitos para presidirem comissões episcopais pastorais da CNBB Nacional: dom Vilsom Basso, SCJ, bispo da Diocese de Imperatriz, que está à frente da Comissão Espiscopal Pastoral para a Juventude e dom José Valdeci Mendes, que foi reeleito para a Comissão Episcopal para a Ação Sociotransformadora.


Na abertura das atividades, dom Gilberto Pastana aprsentou os objetivos do Plano Pastoral do NE5 e ressaltou a retomada das ativdiaees pós período pandêmico, pontuando a necessidade de se pensar, em um momento dedicado e fora da Assembleia (que terá como foco assuntos pastorais) recursos humanos e financeiros, elementos indisponesáveis para as atividades administravia de qualquer ação na Igreja.


Junto com a retomada das atividades, foi resgatado o Plano de Pastoral 2019-2023, que será ampliado em nosso estado até 2025, e tem como objetivo "Criar e fortalecer comunidades eclesiais missionárias, enraizadas na Palavra de Deus e nas realidades do Maranhão, tendo a missão como eixo fundamental", e ressaltou os quatro pontos principais que são prioridades: Formação discipular, Cuidado da casa comum, Cuidado com os jovens e Celebração do mistério pascal de Jesus Cristo.


Dom Gilberto apresentou o levantamento do quantitativo das dioceses, sem análises qualitativas, apenas para informação sobre as estatísticas dos últimos anos relacionadas aos números da fé católica no estado do Maranhão: número de padres (religiosos e diocesanos), religiosas, diáconos e ações de pastorais em nível regional.


Análisede conjuntura


Ainda na sexta-feira, primeiro dia da Assembleia, ocorreu a tradicional análise de conjuntura apresentada pelo assessor convidado, professor e advogado, Guilherme Zagallo, paraense, radicado em São Luís (MA) desde 1983, que apresentou uma explanação sobre os grandes empreendimentos industriuais e as relações e constatções feitas sobre o acesso e emprego para os maranhenses.


Zagallo mostrou ainda dados estatísticos sobre emprego, renda e investimentos de iniciativas privadas que não geram empregos esperados no estado.

“Mexe com o imaginário de geração de emprego e de desenvolvimento, e pra enfrentar precisamos de educação e diálogo permanente, além de fiscalização também por parte da própria população”, destacou o advogado.

Partilha de experiências pastorais


Na sequência, ocorreu a partilha de experiências a partir do objetivo e prioridades do plano de pastoral do Regional. A Diocese de Bacabal apresentou as atividades da Pastoral Urbana, que consiste em dar assistência à população local de Bacabal. Nesta mesma anuência foi colocada a experiência da Pastoral do Povo de Rua na Diocese de Imperatriz e na Arquidiocese de São Luís. Foi abordado ainda sobre o 15º Intereclesial das Ceb’s e as atividades da Pastoral da Juventude.


Pastoral do Povo de rua


Houve partilhas de trabalhos realizados pela Pastoral Urbana, na cidade de Pedreiras, Diocese de Bacabal e a Pastoral da População de rua, na sede da cidade de Imperatriz, nas dioceses de Imperatriz, em Timon, Diocese de Caxias do Maranhão e na capital, área da Arquidiocese de São Luís do Maranhão.


Os grupos partilharam as experiências de trabalho realizados desde o período da pandemia, que consiste em dar assistência humana de roupa, comida, assistência social e jurídica, entre a pessoas.


Zenilda partilhou sobre a ausência do Centro POP e que mesmo não existindo este direito existente por Lei, em São Luís, a população cerca de 120 grupos organizados distribuem alimentação para pessoas em situação de rua.


Em Imperatriz, a coordenação diocesana da Pastoral tem assistência do Ministério Público do Estado do Maranhão. E a distribuição de comida é feita semanalmente, onde o grupo recebe assessoria sobre como desenvolver o trabalho pela comissão nacional responsável pela Pastoral da população de rua.


Na cidade de Pedreiras, um grupo realiza o trabalho de doação de alimento diário, com assistência feita através da distribuição de alimentos com o restaurante Rancho de Benedito padre José Geraldo. Diariamente o grupo acolhe pessoas em situação de rua, distribuindo refeições e oferecendo espaço para banho.


Neste ano, a atividade realizada pelo Rancho Benedito ganhou destaque na TV Aparecida por ocasião das enchentes que ocorreram no Maranhão.


omunidades Eclesiais de Base (CEB)


Padre Chagas falou sobre as experiências das CEBs durante vários períodos do ano, citando a experiência vivida na Páscoa deste ano, onde o beijo da veneração da Santa Cruz, foi feito levando o crucifixo de casa em casa.


Leitura bíblica, a partir do método popular e também, ajuda às pessoas com dificuldades financeiras e sociais.


O padre falou sobre a situação do agronegócio e os problemas que geram com a população. E falam sobre o êxodo dos homens que partem de suas casas para poder buscar emprego como pedreiro e outras atividades na construção civil e do agro, e deixam as mulheres sozinhas, havendo períodos em que as mulheres ficam sozinhas em casa.


om Valdeci, ressaltou a questão do avivamento das CEBs, sobretudo pós pandemia, de resgate aos que estavam afastados da comunidade. Testemunhou sobre um fiel que desde o Papa São João XXIII, frequenta a comunidade de forma viva e fervoroso.


Pastoral do Pescador


Outra experiência da Diocese de Brejo, foi a desenvolvida com a Pastoral da Pesca, com atividades realizadas de modo mais intenso na região dos Lençóis Maranhenses.


Pastoral Juvenil


A Pastoral Juvenil partilhou a experiência das atividades desenvolvidas no Estado do Maranhão, destacando a Romaria da Juventude, em setembro 2022, a atuação durante o período da pandemia. Além destes pontos, apresentaram o Plano de Evangelização 2023-2025, que tem como tema “Ao teu lado”, disponível no site Jovens Conectados, como proposta de evangelização pós período de pandemia da COVID-19. Por fim, apresentaram o convite para a Romaria dos 50 anos da Pastoral Juvenil, que acontecerá no dia 9 de setembro deste ano, em Aparecida (SP).


A 21ª Assembleia segue neste sábado, 01 de julho, com apresentação da síntese do Sínodo 2021/2024 das dioceses, trabalhos em grupos e reflexão da temática principal da assembleia com assessoria de padre Geraldo de Mori.


Commenti


bottom of page