• Secom

Subsídio para bem viver o Ano Missionário nas paróquias



“A estrutura do livro foi pensada de modo a contemplar os tempos fortes de nossa Igreja, como por exemplo a caminhada penitencial e a via sacra, atividades próprias da Quaresma”, conta padre Jadson Borba.


Com a proclamação do Ano Missionário, na Arquidiocese de São Luís, as paróquias da Igreja local são convidadas a viver profundamente a mistagogia missionária em suas realidades com ações e gestos concretos.


Para esta vivência prática, a Comissão Arquidiocesana para o Ano Missionário publicou um subsídio com a finalidade de orientar e propor, de modo claro e objetivo, as atividades a serem realizadas e desenvolvidas durante o Ano Missionário nas diversas paróquias.


O arcebispo de São Luís, dom José Belisário, explica que “a equipe, coordenada por dom Esmeraldo, bispo auxiliar, padres Jadson Borba e Flavio Colins tem trabalhado intensamente no planejamento e na preparação desse Ano Missionário. A cartilha (...) faz parte deste trabalho”.


Nomeada Orientações e roteiros para o Ano Missionário, a cartilha considera a vida litúrgica, pastoral e missionária das comunidades. O padre Jadson Borba, coordenador da comissão, diz que “uma vez acolhida, servirá de base para nortear as atividades das pastorais, grupos, movimentos, equipes e serviços numa perspectiva missionária”. As orientações contidas no livro englobam as quatro dimensões do Ano Missionário, a saber: espiritual, celebrativa, pastoral-formativa e samaritana.


“Toda a proposta do livro nos coloca em um movimento de saída. É um material que dá continuidade a dinâmica dos retiros missionários realizados no ano passado. A proposta visa que cada um de nós possa assumir de fato a missão, não como uma atividade, mas como um modo próprio da vida cristã”, enfatiza padre Jadson.


E acrescenta, “as indicações do livro para a vivência missionária faz com que cada um tome a consciência que somos chamados a ser em nossos ambientes de trabalho um sinal da presença de Jesus”, finaliza.


A Comissão para o Ano Misionário Arquidiocesano, consciente da importância do seu trabalho, não tem medido esforços para que seja ele bem vivido nas paróquias, segundo aquilo que espera a Igreja local, daí, portanto, a preocupação em bem orientar à vida missionária nas paróquias. Há uma grande expectativa que este Ano seja um divisor de águas na vida missionária da arquidiocese.


“Fazemos votos que o Ano Missionário feche com chave de ouro o quadriênio 2017/2020. Em novembro próximo, estaremos de novo reunidos em assembleia. Esta terá como tarefa traçar algumas orientações para o quadriênio 2021/2024 a partir das Diretrizes da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil 2019/2023. Sensíveis ao momento que estamos vivendo, trata-se sempre de sermos fieis ao mandato de Cristo ressuscitado: “Vão com a força do Espírito e sejam minhas testemunhas” (cf. At 1,8). A intercessão de Maria e José nos acompanhe neste Ano Missionário”, pontua o arcebispo.


Como usá-lo nas comunidades e pastorais das paróquias?



Por ser um livro de orientações, é importante destacar, que cada paróquia poderá adaptar à sua realidade a proposta do Ano Missionário.  A estrutura do Livro foi pensada de modo a contemplar os tempos fortes de nossa igreja, como por exemplo a caminhada penitencial e a via sacra atividades próprias da quaresma. Oferece sugestões para retiros missionários como os profissionais leigos, os jovens e as crianças. Propõe ainda encontro de oração e partilha nas famílias e nos ambientes de trabalho. Apresenta uma perspectiva missionária do mês mariano, vocacional e da Palavra de Deus. Com isso, notamos que a utilização do livro não será em um momento pontual, mas será utilizado em todo o Ano Missionário.

0 visualização