• Secom

São Marcos: um Evangelho vivido

Padre Jadson Borba

Coordenador da Comissão Arquidiocesana para o Ano Missionário 2020



A vivência do Ano Missionário em nossa arquidiocese tem nos possibilitado uma profunda reflexão sobre o modo como somos chamados a viver a nossa fé. A experiência com Jesus não pode ficar retida em nós mesmos é preciso anunciá-lo e testemunhá-lo. Estamos já há alguns meses refletindo à luz da missão a vida de homens e mulheres. O nosso olhar é hoje voltado para o evangelista São Marcos um homem que está ligado aos primeiros passos missionários da igreja nascente.


A casa da família de Marcos era um lugar de acolhida e oração, pois assim nos diz o relato de Atos: “Dando-se conta da situação (Pedro), foi à casa de Maria, a mãe de João, chamado Marcos. Muitos ali se encontravam reunidos para orar” (At 12,12). Aqui gostaríamos de chamar a atenção para o momento em que vivemos, o qual exige de nós uma vivência eclesial no âmbito doméstico. Assim nos diz o Catecismo da Igreja Católica: “O lar é, assim, a primeira escola de vida cristã e “uma escola de enriquecimento humano”. Aí se aprendem a resistência à fadiga e a alegria do trabalho, o amor fraterno, o perdão generoso e mesmo reiterado e, sobretudo, o culto divino pela oração e pela oferenda de sua vida”.


A vida de João Marcos está ligada à vida do apóstolo Pedro, ele mesmo o chama de “meu filho” na saudação final de sua primeira carta dirigida às comunidades da Ásia Menor. Desde a antiguidade, Marcos ficou conhecido como “intérprete de Pedro” essa informação nos é dada por meio de escritos de um homem chamado Pápias. Marcos acompanhou Pedro em suas diversas viagens, dentre elas, Roma, lugar onde provavelmente escreveu o Evangelho.


Relatos chegam a nós e nos falam da sua experiência junto a Paulo e Barnabé nas chamadas viagens missionárias. Nosso personagem foi testemunha dos primeiros anúncios da mensagem de Jesus, logo percebeu como uns acolhiam e outros rejeitavam a mensagem de Jesus testemunhada pelos continuadores de sua missão. Paulo, na prisão, nos dá as últimas informações, bíblicas, sobre Marcos ao dizer: “Toma contigo Marcos e traze-o, porque é prestativo para ajudar-me” (2Tm 4,11b).


O evangelista Marcos foi um grande missionário na igreja primitiva. Por meio do seu Evangelho somos capazes de responder à pergunta: Quem é Jesus? Uma resposta que nasce não de uma teoria, mas do testemunho do próprio Jesus. Seguindo as pegadas de Jesus no Evangelho de São Marcos perceberemos que a prática de Jesus é fundamental para conhecermos quem ele é. Jesus é o Filho de Deus, como bem nos falou o centurião romano ao contemplá-lo na cruz dizendo: “Verdadeiramente, este homem era o Filho de Deus!” (Mc 15,39)


Marcos foi um homem de comunhão com Deus e com os irmãos. Colocou sua vida a disposição da Missão. Compreendeu desde cedo que a vida é entrega e doação. Nos deixa um lindo testemunho que é preciso força e determinação para trilhar os caminhos do Senhor. O pequeno missionário viu o Evangelho ser pregado por meio da vida e morte de Pedro e Paulo. Sentiu as consequências da fidelidade ao projeto de Jesus.


Por fim, somos chamados a viver a nossa missão, como viveu o evangelista Marcos em contextos tão diversos. A missão é vivida em várias realidades, tais como: humana, geográfica e social. É vivida em tempo de paz e de guerra, de ação e de recolhimento, de lágrimas e de sorrisos. No tempo presente, somos chamados a viver a missão de uma forma diferente. O Evangelho hoje é chamado a ser anunciado, rezado e testemunhado no recolhimento de nossas famílias.

15 visualizações