Pastorais Sociais gritam por vida, e vida em abundância



Neste próximo sete de setembro, quando celebramos mais um aniversário da independência do Brasil, as pastorais sociais da Arquidiocese de São Luís celebram com a Igreja local a 26ª edição do Grito dos Excluídos.


Este ano com o tema: vida em primeiro lugar, o movimento grita pelo fim da miséria, preconceito e repressão. E estende: "queremos trabalho, terra, teto e participação". Uma alusão ao tema da sexta Semana Social Brasileira.


Grito dos Excluídos


O Grito dos Excluídos é um conjunto de manifestações que ocorrem durante a Semana da Pátria, no país inteiro, desde 1995, culminando em um grande ato em 7 de setembro, Dia da Independência do Brasil. O objetivo é denunciar a exclusão de determinados grupos da sociedade e propor caminhos para a inclusão.


O Grito das Pastorais Sociais da Arquidiocese


As Pastorais Sociais da Arquidiocese de São Luís gritam realidades desafiadoras: são as samarias, os areópagos, da Igreja local onde se anuncia a Boa-Nova, e de lá, se denuncia os males que os ferem. As pastorais defendem que é preciso testemunhar para transformar.


Por isso, com a pandemia instalada em nosso contexto, para evitar as manifestações que ocorrem nesse período para chamar a atenção para essas realidades, as pastorais se juntam, para que cada uma, com seu grito, mas em uma só voz, possam gritar essas realidades latentes.


Assista ao vídeo (em sua estreia) e conheça quem são os que gritam por vida, e vida em abundância em nossa Arquidiocese.



161 visualizações