O terceiro arcebispado

Invisibilem tamquam videns (Como se visse o Invisível) é o lema de Dom Adalberto Accioli Sobral, que pastoreou com grande zelo e atenção a Arquidiocese de São Luís.

Da redação




Dom Adalberto Accioli Sobral, no dia 08 de janeiro de 1947, foi nomeado com o terceiro arcebispo da Arquidiocese de São Luís. Durante sua missão, diversas foram as orientações dirigidas por dom Adalberto à arquidiocese que pareciam verdadeiras cartas pastorais, devido ao seu conteúdo doutrinário e pela maneira paternal e convincente com que eram desenvolvidas. Nesse sentido, o zeloso pastor tratava sobre os mais variados assuntos em favor de suas ovelhas: a vida de oração, assistências sociais, questões políticas, saúde pública, entre outros.

Entre as realizações do pastor na Arquidiocese está o Conselho Arquidiocesano da União Missionária do Clero, que incluía os religiosos e os seminaristas de Teologia, e também foi criada a Ação Social Arquidiocesana.



Trajetória

Dom Adalberto Accioli Sobral nasceu no dia 02 de agosto de 1887, em Japaratuba (SE). Estudou Humanidades no Atheneu Sergipense, posteriormente cursou Filosofia e Teologia no Seminário de Maceió, onde foi ordenado sacerdote, no dia 12 de novembro de 1911. Foi ordenado Bispo no dia 04 de setembro de 1927, em Aracajú (SE).

Atingido por uma enfermidade, dom Adalberto ficou pouco tempo pastoreando a Arquidiocese de São Luís. Teve que deixar a cidade para tratamento em Aracajú, onde faleceu no dia 24 de maio de 1951. Entretanto, do curto período, dom Adalberto teve grande contribuição, sendo lembrado como um zeloso e atencioso pastor.

42 visualizações

Posts recentes

Ver tudo