O segundo arcebispo de São Luís


O segundo Arcebispo de São Luís foi Dom Carlos Carmelo de Vasconcelos Motta, natural de Bom Jesus do Amparo, no município de Caeté (MG), nasceu em 16 de julho de 1890, filho de João de Vasconcelos Teixeira da Motta e Francisca Josina dos Santos Motta.


Em 1904 ingressou no Seminário de Mariana (MG), ainda sem intenção de ser padre, buscando apenas complementar seus estudos. Terminando o curso de Ciências e Filosofia, em 1909, retornou à fazenda dos pais. Três anos depois, aos 22 anos de idade, elegeu-se vereador à Câmara Municipal de Caeté, porém, no ano seguinte, interrompeu a carreira política e ingressou na Faculdade de Direito de Belo Horizonte a qual cursou apenas por um ano, voltando então ao Seminário de Mariana já decidido a ser padre.


A vida sacerdotal de Dom Carlos teve início em 1918, já a ordenação episcopal ocorreu 14 anos depois. No ano seguinte de sua ordenação, auxiliou o monsenhor Domingos Evangelista Pinheiro na fundação da Congregação das Irmãs Auxiliares de Nossa Senhora da Piedade e foi coadjutor em Taquaraçu de Minas (MG). Em seguida foi reitor do Santuário da Piedade e do Convento das Enclausuradas Concepcionistas de Macaúbas, e pároco de Caeté e Sabará (MG). Em 1926 exerceu no Vaticano a função de camareiro do Papa Pio XI. Quando retornou às terras brasileiras, foi designado reitor do Seminário do Coração Eucarístico, em Minas Gerais. Em julho de 1932 foi nomeado bispo titular de Algisa e bispo auxiliar de Dom Joaquim Silvério de Sousa. Seguindo seu caminho no episcopado, foi nomeado arcebispo de Diamantina, em Minas Gerais, e em outubro do ano seguinte, tornou-se bispo de Belo Horizonte.


A sua missão no Maranhão começou dia 19 de dezembro de 1935, quando foi nomeado arcebispo de São Luís, tendo uma forte e presente contribuição em todo o estado. Criou a seção estadual da Ação Católica Brasileira (ACB), fundou um leprosário, criou orfanatos e hospitais, inaugurou o Colégio dos Maristas na capital, instalou diversas congregações religiosas, restaurou o clero metropolitano e o seminário local, e reformou a catedral e outras igrejas. Ainda, criou mais de 20 novas paróquias, fundou a Diocese de Caxias e deu os primeiros passos na construção da Diocese de Pinheiro. O arcebispo permaneceu no Maranhão até 1944, quando foi nomeado, em agosto, para a Arquidiocese de São Paulo.

Dom Carlos foi um dos fundadores da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), na qual foi o primeiro presidente (1952 a 1958), tendo a oportunidade de participar de dois Conclaves: do Papa João XXIII e do Papa Paulo VI. Foi nomeado primeiro arcebispo de Aparecida (SP), em 1974, aos 73 anos, cargo que exerceu até sua morte, em 1982, aos 92 anos.


Diante de uma jornada memorável, a Arquidiocese de São Luís rende graças a Deus por suas contribuições e por tê-lo como parte da história deste Ano Jubilar.


13 visualizações

Posts recentes

Ver tudo