Missão e famílias: desafios e exigências são discutidos na XXXII Assembleia da Pastoral Familiar


(Fotos: Pastoral Familiar São Luís/MA)

Em Assembleia Ordinária, realizada na Casa de retiro Oásis (24/4), a Pastoral Familiar arquidiocesana discute caminhos a percorrer no ano de 2022.


Entre os temas abordados na Assembleia estão: "O papel missionário do agente de Pastoral Familiar", a "Igreja Sinodal", a apresentação de um "Diagnóstico da Pastoral Familiar na Arquidiocese" e o "Plano de Ação Pastoral" da Igreja de São Luís.


Foram palestrantes na Assembleia, o coordenador arquidiocesano da Ação Evangelizadora, que integra todos os movimentos e pastorais, padre Jadson Borba e o padre Orlando Ramos.


Os temas estão relacionados entre si e tratam sobre a importância da missão da Pastoral dentro da realidade da Igreja e das famílias na arquidiocese. Conhecer essa realidade é o que garantirá aos agentes uma ação mais consciente, mais sinodal. Garantirá uma igreja de participação, comunhão e de missão.


Não por outro motivo, tem-se hoje, no Vaticano, o Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização, que busca olhar a realidade desafiadora que a mudança epocal trouxe para nossos contextos de comunidades. Novas realidades que o Sínodo tem buscado perceber para compreender como atuar.


Na palestra ministrada por padre Jadson, foi apresentada a estrutura organizacional da Arquidiocese de São Luís do Maranhão, além dos desafios que deverão ser vencidos através do Plano de Evangelização e da perspectiva sinodal que a Igreja vive atualmente.


Confira a trechos da fala de padre Borba:


"Nosso trabalho é desafiador e ao mesmo tempo exigente. Nosso desafio, enquanto coordenação, é suscitar novos líderes.


Com efeito, o nosso 'caminhar juntos' é o que mais implementa e manifesta a natureza da Igreja como povo de Deus, peregrino e missionário [....]


Deus amou profundamente Jesus e Ele ama da mesma forma a cada um de nós, os seus discípulos. Da mesma forma que o Pai que O ama e O envia, também Ele nos enviará. Somos enviados pelo Amor! Toda Pastoral, todo movimento são expressões do amor de Deus na realidade em que vivemos, tão dura, tão cruenta, tão desafiadora.


Esse processo deve manifestar a natureza da Igreja. Nós temos que caminhar juntos, indicando caminhos e possibilidades para que possamos criar pontes entre nós.






É importante perceber que a missionaridade da igreja está no âmbito da Natureza, é algo que constitui o ser. A missão não é um acessório, um anexo, um plus na igreja: a igreja, ou ela é missionária, ou ela não é igreja".


Em breve, a Pastoral Familiar deve divulgar material aos membros dos resultados e deliberações definidos na Assembleia.


Dom Gilberto Pastana, enviou mensagem aos membros reunidos: