top of page

Conselho Arquidiocesano de Pastoral realiza 1ª reunião e avança no Plano de Pastoral (2023-2024)


(Forania se apresentando na 1ª reunião do Conselho Arquidiocesano de Pastoral | Foto: Ascom Arquidiocese de São Luís do Maranhão)

Na manhã deste sábado (18), no Centro de Formação João Francisco Lisboa (Cejol), Canto da Fabril, aconteceu a primeira reunião do Conselho Arquidiocesano de Pastoral (CAP), importante instrumento de gestão para a ação evangelizadora da Igreja. A reunião contou com 118 participantes, e foi conduzida por dom Gilberto Pastana, Arcebispo de São Luís do Maranhão, presidente do Conselho, e pelo padre Jadson Borba, coordenador da Ação Evangelizadora Missionária (EAM).


Criado na última Assembleia Arquidiocesana de Pastoral, realizada em novembro de 2022, o Conselho Arquidiocesano de Pastoral tem em sua formação: o presidente, dom Gilberto Pastana, padres Jadson Borba, coordenador da Ação Evangelizadora Missionária, os párocos e administradores paroquiais - os vigários foraneos integram esse grupo - cinco leigos de cada Forania, indicado pelos vigários foraneos, duas religiosas representando a Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB), e todos os coordenadores das expressões eclesiais da Arquidiocese.


Participaram também o ecônomo Cúria recém chegado a São Luís, Luca Bianucci e Virgínia Diniz, assessora de comunicação da Arquidiocese.


(Wesley Max, secretário arquidiocesano da Pastoral da Juventude em São Luís do Maranhão)

Para Wesley Max, secretário arquidiocesano da Pastoral da Juventude, a reunião foi importante para auxiliar na promoção de ajuda por parte das expressões eclesiais para a Arquidiocese, e a Pastoral da Juventude (PJ) irá acompanhar "de perto" o Plano Pastoral:


"Acredito que o conselho será fundamental para deliberar ações e projetos dentro da Arquidiocese...Neste momento de renovação e de um novo ciclo, temos o objetivo de fortalecer o diálogo e promover um trabalho coletivo com outras pastorais. O conselho nos dará a oportunidade de tornar esse trabalho mais efetivo e a pastoral da juventude está disponível para contribuir ainda mais na Arquidiocese", reforçou Wesley da PJ.

A reunião contou com 118 participantes, e representantes de todas as 10 Foranias da Arquidiocese, que durante a manhã, dividiram-se em grupos para tratar sobre o Plano de Pastoral Arquidiocesano (PPA), que caminha para sua conclusão definitiva e deve ser divulgado em breve.


Com validade para 2023-2024, o PPA deverá ainda sofrer ajustes após a 60ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (60ªAG CNBB), que acontece de 19 a 28 de abril, momento em que devem ser divulgadas as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil.


Entendendo a importância da 1ª reunião do Conselho Arquidiocesano de Pastoral


Apesar de existir há alguns anos no contexto eclesial, o Conselho Arquidiocesano de Pastoral ainda não operava na Igreja de São Luís do Maranhão. Criado em 2022, dentro da Assembleia Arquidiocesana de Pastoral, o CAP tem uma missão importante, uma vez que se trata de um organismo de participação.


(Dom Gilberto Pastana, Arcebispo de São Luís do Maranhão)

Ao apresentar a função do CAP, dom Gilberto Pastana reforçou a importância de haver a mesma configuração de organização tanto em nível forâneo, quanto em nível paroquial. Por isso a relevância desta primeira reunião, que pretendeu expor o que cada um faz, bem como explicar os Pilares existentes, atualizar todos sobre o caminho percorrido até agora, e qual trajeto deve se seguir para aprovar e executar o Plano de Pastoral Arquidiocesano.


À Assembleia Arquidiocesana de Pastoral cabe apontar os objetivos, as diretrizes e as prioridades da Ação Evangelizadora. O que, neste ano, ganhou ainda a colaboração da Síntese Arquidiocesana do Sínodo, importante instrumento de escuta, que feito em todas as Foranias da Arquidiocese, e por ter percorrido todas as Paróquias, permitiu uma diagnóstico da vida eclesial local.


Depois da Assembleia, e uma vez formado o Conselho Arquidiocesano de Pastoral, cabe ao Conselho:

1- Elabora o Plano de Pastoral Arquidiocesano

2- Acompanha a ação Pastoral

3- Zelar pela comunhão eclesial

4- Assumir a organização da Assembleia


A figura do Conselheiro, portanto, é muito importante, uma vez que ele é membro do Conselho Pastoral, e não apenas um representante de sua expressão eclesial. Sendo assim, deve pensar de modo colaborativo com todos, sem buscar no Conselho realizar uma pauta particular de sua Pastoral.


"É preciso pensar a Pastoral a partir da Igreja. 'O todo é superior às partes'. A realidade é superior às ideias", reforçou dom Gilberto citando Papa Francisco.

Após a fala do Arcebispo, que contextualizou o CAP aos presentes, padre Jadson Borba fez o resgate do processo e construção do Plano de Pastoral, resgatando o Sínodo, a Assembleia (que contou com 186 delegados de toda a Arquidiocese), e as reuniões que sucederam a criação do Conselho (desde fevereiro a Equipe Arquidiocesana de Pastoral, formada pelos coordenadores e membros dos Pilares, se reúne).


Por fim, houve a apresentação dos Pilares que formam a Ação Evangelizadora da Igreja, Pão, Palavra, Caridade, e o pilar Missão, que perpassa todos os demais.


"A missão perpassa todos os pilares, é o eixo em todos os pilares", enfatiza padre Jadson Borba.

Após a fala dos coordenadores dos Pilares, as Foranias reuniram-se em grupos, onde discutiram a proposta do Plano de Pastoral, que ainda se encontra em fase de finalização.


Com a criação do Conselho, a Assembleia Arquidiocesana de Pastoral, que antes acontecia anualmente, agora será quadrienal, ficando o Conselho Arquidiocesano de Pastoral com a responsabilidade de se reunir duas vezes ao ano. A próxima reunião do CAP será no dia 11 de novembro, com local a ser divulgado.


Veja mais fotos em nossas redes sociais.






Kommentare


bottom of page