• Secom

“Anunciar o Evangelho não é título de glória para mim” (1 Cor 9, 6)


No dia 14 de dezembro do ano passado foi declarado em celebração solene, por dom José Belisário da Silva (OFM), a abertura do Ano Missionário arquidiocesano, o qual tem como tema, “Vão com a força do Espírito Santo e sejam minhas testemunhas” (cf. At 1,8). Em comunhão com o projeto missionário de nossa arquidiocese, iremos destacar a cada mês um personagem que fez da sua vida uma expressão da missão.


Padre Jadson Borba

Coordenador da Comissão Arquidiocesana para o Ano Missionário 2020


São Paulo, o missionário dos gentios


Destacamos, neste primeiro momento, o apóstolo Paulo, um homem que viveu a missão na sua expressão carismática, pois em seu tempo a dinâmica missionária não obedecia a um programa, a própria experiência com o Senhor o impelia a evangelizar outros povos, outras terras. Por meio da missão de Paulo, a mensagem de Jesus foi inculturada. Nas palavras do Papa Francisco, “A graça supõe a cultura, e o dom de Deus encarna-se na cultura de quem o recebe”. (EG, n.115). O mover salvífico de Deus chegará à plenitude quando o homem de modo livre o acolher em sua realidade e torná-lo expressão de sua vida.


A ação missionária de Paulo fez com que as sementes do evangelho fossem espalhadas em terras distantes. As rotas traçadas por Paulo eram já conhecidas, aproveitou os caminhos abertos pelo comércio e passou a anunciar aos gentios a boa nova que transforma e dá novo sentido à vida. A experiência mística vivida por Paulo o fez entender que o Cristo crucificado e ressuscitado continua a aproximar-se daqueles que estão distantes. Paulo, homem de profundo conhecimento das Escrituras, compreende que a proposta de vida trazida por Jesus Cristo não deve se limitar às fronteiras do povo da Aliança.


A obra missionária de Paulo fez nascer comunidades, casas de famílias acolhiam os irmãos na partilha de mesa e de vida. As periferias tornaram-se centros irradiadores de vida.

A missão de Paulo é caracterizada pelo anúncio do evangelho nos grandes centro urbanos da época.  Por ele, foram utilizadas imagens urbanas, como por exemplo: os jogos, a vida na praça, os lugares onde a vida acontece, os espaços do trabalho cotidiano, o que se torna para nós uma fonte de inspiração! O contexto atual é marcado fortemente pela cultura urbana. Evocando as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora 2019-2023, as quais destacam a seguinte compreensão: “O mundo urbano atual, cuja mentalidade está presente na cidade e no campo, é lugar da presença de Deus, espaço aberto para a vivência do Evangelho”. (n.10).


Ao observarmos a vida do apóstolo Paulo, percebemos que foram muitos os desafios enfrentados por ela na difusão do Evangelho. Em carta aos tessalonicenses enfatiza que a situação de todo cristão antes da vinda do Senhor será marcada pela tribulação. Contudo, a alegria provocada pela íntima relação com o Senhor, nos dá a firme convicção que não estamos sozinhos, “Já não sou eu que vivo, mas é Cristo que vive em mim” (Gl 2,20).

 Quais os sinais da vida e da missão de Paulo para a nossa missão? Como viver o Ano Missionário, a partir do testemunho nos deixado por ele? Paulo foi um homem que se colocou à disposição do Senhor. Assumiu a missão não como protagonista, mas como alguém que se deixou modelar pela força do Espírito. Paulo, mostra-nos que a missão vivida na fidelidade não é fácil, que por meio do fracasso humano, Deus manifesta o seu poder. Ainda nos ensina que os caminhos da missão exigem de nós maturidade, pois o dom acolhido gera vida, primeiramente em nós, depois nos que a compartilham conosco.


Ao final desse percurso, e ainda destacando a vida missionária de Paulo, notamos que ele não viveu a missão sozinho, pelo contrário, compartilhou com outros a responsabilidade de testemunhar na fé a graça recebida. A obra missionária de Paulo fez nascer comunidades, casas de famílias acolhiam os irmãos na partilha de mesa e de vida. As periferias tornaram-se centros irradiadores de vida. A missão deste grande homem continua hoje a nos indicar os caminhos da missão. Que este missionário das primeiras horas nos ajude a sermos missionários no tempo de hoje.

15 visualizações